Angola é o país mais francófono da lusofonia e pode beneficiar em termos económicos

Com 4,5 milhões de falantes de francês, Angola é o país lusófono mais francófono de África e pode recolher benefícios económicos da sua adesão à Francofonia, afirmou hoje a presidente do grupo dos embaixadores francófonos em Angola.

Numa entrevista em Luanda, no âmbito do cinquentenário da Organização Internacional da Francofonia (OIF), criada a 20 de março de 1970 em Niamey (Níger), a diplomata marroquina Saadia El Alaoui lembrou que Angola já fez o seu pedido de adesão como membro observador da OIF e espera que esta se concretize “o mais brevemente possível”.

A embaixadora apontou razões históricas e geográficas que explicam que Angola seja “entre os países lusófonos o mais francófono,” com 15% da população, ou seja 4,5 milhões de pessoas, que falam ou compreendem o francês, salientando que a francofonia é uma realidade já presente em Angola.

“Encontramos o francês em cada canto, em cada rua”, sublinhou Saadia El Alaoui, indicando que é já “enorme” o intercâmbio de Angola com o mundo francófono, seja a nível de migrações, tradições culturais ou aspetos económicos.

“Além da dimensão política e cultural, a francofonia inscreve-se igualmente numa agenda económica com aspetos que beneficiam os países do espaço francófono”, realçou a diplomata, acrescentando que as “redes de cooperação sul-sul” são “pertinentes para todos os países africanos”.

Angola faz fronteira com quatro países, a Namíbia, a Zâmbia, a República Democrática do Congo e a República do Congo, sendo estes dois últimos, de língua francesa, os que partilham maior área fronteiriça com o território angolano.

O executivo angolano oficializou no dia 17 de maio de 2019, em Paris, França, a candidatura do país a membro observador da OIF.

Na altura, o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, explicou que a intenção se baseia no facto de Angola ter relações privilegiadas com países francófonos e pretender reforçar a integração com a comunidade francófona.

Em julho do ano passado, o embaixador de França acreditado em Luanda, Sylvain Itté, anunciou que Angola poderá ser admitida na OIF em breve, durante a 19.ª cimeira de chefes de Estado e de Governo deste bloco, a realizar-se no final do ano na capital tunisina, Tunes.

A OIF conta atualmente com 56 estados membros e 14 observadores.

O francês é falado atualmente por cerca de 300 milhões de pessoas, prevendo-se que em 2050 esse valor aumente para 715 milhões de francófonos, dos quais 500 milhões serão africanos.

O Grupo dos Embaixadores Francófonos foi criado em Luanda, no ano passado, com o objetivo de organizar intercâmbios , acompanhar as autoridades angolanas na implementação dos compromissos francófonos de Angola e promover a francofonia nos planos político, económico, ético, cultural, linguístico e educativo.

RCR // JH

Texto: Agência Lua
Compartilhar