Cultura e Educação

Show do Mês Canta Nany

A Nova Energia teve como proposta para o Show do Mês uma viagem musical aos principais sucessos de Nany, uma referência da música angolana pela sua voz marcada por mensagens românticas e pela forma irreverente e ousada de apresentar-se em palco e no quotidiano.

Para Cantar Nany, a Nova Energia levou ao palco do Royal Plaza as seguintes cantoras: Sandra Solange, Alexandra Bento, Neidy da Luz, Raquel Lisboa e Branca Celeste que interpretarão os principais sucessos da cantora.

Nani afastada dos palcos por questões de saúde, no Centro Cultural e Recreativo Kilamba fez uma das suas últimas aparições pública em 2014 numa das edições do Muzongue da Tradição. Brindou os presentes com “Veio de Longe”, “Um Amor Assim”, “Ta Kieto” e “Diala”. No entanto os seus principais temas continuam a ser ouvidos e regravados por outros artistas.

Dias antes dos concertos, numa curta passagem pelos ensaios,  encontramos Neide da Luz e Alexandra Bento que na pausa falaram ao Mukanda. Neide da Luz volta a considerar Nany uma diva e que revolucionou a música angolana, uma voz bonita e continua a fazer história. Revelou que Diala e Pedrito são dos temas que aprecia e tem trabalhado. Já Alexandra Bento, uma das vocalistas da Banda FM de Benguela, tem em Nany uma lenda da música angolana, a jovem que cresceu a ouvir a homenageada diz ser um privilégio interpretá-la, ainda não bem refeita da viagem, dava duro nos retoques de “Chegou de Longe” e “A Min Cre Bai”.

Raquel Lisboa e Branca Celeste são vozes com ligação à Nova Energia, a primeira, a Raquel, como corista e algumas participações. E a segunda, a Branca, faz a ponte depois de ter participado no Bar das Emoções, a sua relação com a Nova Energia começou numa secção de ensaios na Brasom, como corista e teve de fazer a voz da artista principal ausente inesperadamente. Yuri Simão ficou impressionado, mas não conseguiu falar com a jovem. Os dois revelaram que o reencontro foi tempos depois no  Funge do Show do Mês, germinando, assim, a parceria.

Ana Maria Branco ou simplesmente Nany nasceu aos 8 de Agosto de 1963 e começou a impor-se musicalmente no final dos anos 80, ombreando com outras vozes femininas como Clara Monteiro, Zizi Mirandela, Lina Alexandre e outras da sua geração. Emergia, assim, no panorama artístico uma continuadora de referências como Garda, Belita Palma, Lourdes Van-dunem, Dina Santos, Fató, Tchinina, Alba Clington, Sara Chaves, Conceição Legot, Lilly Tchiumba, Concha de Mascarenhas e outras pioneiras numa época que era um grande desafio uma mulher dedicar-se à música.

 Nany é hoje uma das artistas que de certo modo ajudou a quebrar determinados tabus, a capa do disco “Veio de Longe” pode ser apresentado como exemplo. Uma faceta pouco conhecida de Nani é a passagem pela Televisão Púplica de Angola, como apresentadora do programa Musical 

Na sua discografia encontramos “Chegou de Longe”, “Nação do Semba” e “Depois de Tudo” não passam despercebidos tal como as músicas “Zeca”, uma composição de Cananito Alexandre, “Para Bailar”, “Madala”, “Pedrito”, “La vida é Buena”, “Tiba”, “A Min Cre Bai”, “Canto” e outros temas cantados em português, espanhol, francês, Kimbundu, crioulo.

Show do Mês

Com esta proposta mais uma vez a Nova Energia volta as homenagens, de salientar este ano Ruy Mingas teve a honra, num concerto único do Centro de Convenções de Belas. Temas de Bangão, André Mingas e Teta Lando também foram levados ao Royal Plaza;

Este ano, a sua sexta temporada, o Show do Mês abriu com Selda, a artista que em 2014 arrancou com uma proposta de interpretação de clássicos da música angolana.

Compartilhar

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Back to top button
Close